fbpx
Foto de George Milton no Pexels

Pode ser que ao criar um podcast de entrevistas, ou mesmo trazer esse formato para seu projeto, apareçam algumas dúvidas sobre o que precisamos fazer depois que conseguimos nosso primeiro entrevistado.

Quero muito te adiantar que: não, não basta abrir o microfone e deixá-lo falar incansavelmente. Ainda que o papo esteja muito interessante no momento da gravação, tente não fugir do assunto proposto. Primeiro por conta do tempo que está sendo dedicado à gravação e também, como consequência, porque você vai ter um conteúdo gigantesco e vai precisar sair caçando as partes realmente importantes, muitas vezes deixando o conteúdo um tanto desconexo por conta de muitos cortes na edição.

Siga um roteiro

Um roteiro vai te ajudar nessa parte. É com ele que você vai visualizar o seu podcast do começo ao fim e terá melhor organização, tanto do conteúdo, quanto do tempo. Ah, e deixe também seu convidado ter acesso a esse roteiro, pois também vai auxiliá-lo.

É claro que na hora da gravação algum imprevisto pode acontecer, uma pergunta pode surgir a partir de uma fala do seu convidado e não tem problema nenhum você colocar ela em pauta ali naquele momento se for interessante para o tema daquele episódio.

Perguntas precisas

A segunda dica que tenho pra te dar conversa diretamente com o tanto que o seu entrevistado vai, ou não, se estender na fala. Faça perguntas precisas. Mas o que isso quer dizer? Pergunte exatamente o que você quer e precisa saber. Não deixe a pergunta ampla, ela confunde até mesmo o convidado sobre onde exatamente você quer chegar com o questionamento e, por isso, ele precisará contar absolutamente tudo.

Aqui vai um exemplo. Ao invés de perguntar como foi a mudança de carreira, prefira perguntar qual foi o momento que mais marcou a pessoa, ou, então, como ela se sente sobre isso. Veja que, se perguntássemos amplamente “como foi”, duas coisas poderiam acontecer. A primeira delas, caso a pessoa seja monossilábica, como costumamos dizer, é que ela vai te responder com uma ou duas palavras, fazendo sua pergunta cair por terra.

Até aqui tudo bem, podemos tentar uma alternativa. Mas caso o entrevistado não seja breve, é praticamente certo que ele vai se estender e você terá uma fala imensa. Isso é um problema porque os podcasts têm seu tempo médio por episódio, e ter que cortar a fala de um entrevistado, por melhor que ela seja, é uma necessidade. 

Conheça o entrevistado

A terceira e última dica desse post é o que vai abrir os caminhos para que você tenha um bom roteiro para seguir, assim como perguntas precisas e de qualidade para fazer. A dica é: conheça seu entrevistado. Pesquise e fique inteirado, saiba o que ele faz, como faz, porque faz e, se for possível, agende um bate-papo informal para “quebrar o gelo” para a gravação. Isso com certeza vai ser fundamental para sua pesquisa e também para deixar o convidado mais tranquilo, resultando num material gostoso de ser ouvido.

O formato entrevista é de fato muito rico, mas também é preciso ter cuidado, pois a linha que divide o interessante do tedioso é muito tênue. Uma entrevista precisa ser dinâmica, leve, coerente e agregadora ao seu ouvinte. Então pense nessas dicas e suas entrevistas serão cada vez melhores.

Se ficar com alguma dúvida, será um prazer ajudar 🙂


0 Comments

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.